Glúten, o vilão das dietas e dos intolerantes a essa proteína

0

gluten-1

No mundo sem glúten não há espaço para celulite, barriguinha, inchaço, enxaquecas ou indisposição…  Hahaha, será?

Só sei que fiquei muuuita inchada esses últimos dias e nem uma furosemida resolveu, e como uma vez eu fiquei duas semanas sem glúten e me senti muito bem, fui saber mais sobre isso. Já fiz vários exames e nada e como as pesquisas indicam que o glúten causa inchaço, vamos ver!

O glúten é uma proteína encontrada em alguns cereais como o trigo, aveia, cevada, centeio e malte. Está no pãozinho, na torrada integral, na cerveja, no macarrão, enfim…  em tudo que é bom! Help! Faz parte do dia a dia, está presente em todas as refeições, e é muito difícil de ser digerido. E por sua digestão não ser completa e dela ainda restarem moléculas grandes que nosso corpo não reconhece, anticorpos são ativados e várias desordens se iniciam.

Quando o glúten cai no intestino delgado causa naturalmente um inchaço. No caso de quem tem intolerância a esta proteína, ou no dos celíacos, além do inchaço ocorre a inflamação intestinal, o que acaba dificultando a absorção de nutrientes e causando, entre outros sintomas, a diarreia.

Segundo a minha nutri Ana Cristina Bucci, Fazer uma dieta sem glúten pode ajudar a emagrecer porque ele causa inchaço, má digestão e aumento dos gases. Além disso retirar alimentos como o pão da alimentação diminui também as calorias da dieta e por isso ajuda a emagrecer. Mas, para os celíacos ou com alguma sensibilidade ao glúten, a melhoria dos sintomas de inchaço e de gases quando esses alimentos são retirados da dieta é imediata. Além disso, a absorção de vitaminas e minerais, devido à diminuição da inflamação intestinal melhora muito a qualidade de vida e o bem estar a curto e longo prazo.

Uma das principais consequências do consumo de glúten é a indesejável barriga. E sabe porque acontece isso?Pelo fato de que são liberadas substâncias inflamatórias que estimulam a formação de gordura. Outro problema é que o glúten ativa a enzima que produz colesterol no corpo, mesmo que a pessoa tenha uma alimentação balanceada e saudável. Ele rouba o lugar da insulina, e com isso falta glicose nas células, deixando cansado, com falta de energia e sono após uma refeição. Rouba também o lugar da endorfina no cérebro, e com isso cada vez que você consome esse alimento que te faz mal, sente um bem estar e um prazer momentâneos.

Vale a pena evitar o consumo do glúten devido às inflamações que ele causa e também por atrapalhar a absorção de uma série de nutrientes importantes para o bom funcionamento do corpo. Excluir o glúten da dieta é uma boa estratégia para emagrecer, pois desinflama nosso corpo. Além disso, a maioria das ‘ites’ (gastrite, amidalite, artrite, sinusite, rinite…), assim como dor de cabeça ou prisão de ventre estão associados a esse tipo de sensibilidade. Estudos recentes ainda relacionam o glúten à doenças autoimunes, como hipotireoidismo, dificuldade em engravidar e de ganhar massa magra.

gluten-2

 

Cinco sinais que podem indicar intolerância ao glúten

– Problemas gástricos – diarreias, prisão de ventre, produção excessiva de gases, estufamento abdominal e refluxo são exemplos desse tipo de problema. Se o corpo é intolerante ao glúten, ao consumi-lo o organismo não consegue digerir a proteína, respondendo com esses sintomas indesejados.
– Enxaqueca – o glúten pode atrapalhar o metabolismo do corpo humano. Com o funcionamento mais lento, o organismo não consegue eliminar toxinas e favorece o aparecimento de dores de cabeça e enxaqueca.
– Distúrbios neurológicos e energéticos – fadiga, confusão, alteração de humor, depressão ou cansaço – são sintomas mais comuns e podem aparecer principalmente após o consumo de glúten. A explicação é a dificuldade em absorver nutrientes causada pelos danos na mucosa intestinal.
– Resistência insulínica e diabetes – o trigo possui a capacidade de elevar os níveis de glicose no sangue – o que dá início à montanha russa de glicose e insulina que estimula o apetite e promove acúmulo de gordura visceral. O ganho de peso leva à uma alteração na sensibilidade à insulina, condição fundamental para o desenvolvimento do diabetes.
– Ansiedade, compulsão alimentar – as exorfinas derivadas do glúten têm potencial para gerar euforia, dependência e estimular o apetite.

Bem, eu vou “tentar” viver sem ele, e espero conseguir!

Até a próxima!

Beijo, abraço, aperto de mão! ;)

Fontes: Mulher.com e Revista Donna

Nenhum comentário foi feito ainda.

Deixe uma resposta ou comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *