Conheça as 10 ervas que podem ajudar o desequilíbrio hormonal

0

Olá, tudo bem?

Eu recebo diariamente uma enxurrada de emails, muitas assessorias, muitos assuntos e sempre tem aqueles que interessam… of course e no meio destes, achei um artigo maravilhoso, para nós mulheres, sobre… HORMÔNIOS!!! But… este artigo também interessa aos homens sim!

O texto é de Tiago Batista, especialista em Detox, apaixonado por saúde e estilo de vida, trabalha com emagrecimento e desintoxicação desde 2013 e já ajudou literalmente milhares de pessoas. Ele venceu uma batalha pessoal com a comida e conquistou o grande sonho pessoal usando as técnicas que pesquisou e desenvolveu. Mais info sobre o Tiago clique aqui!

Bem, mas voltando aos hormônios, segue o texto, que vale a pena ler!!

 

 

new-superfoods-of-2016_1-1024x709 (1)

As glândulas hipofisárias, tireoideas e supra-renais, ovários em mulheres e testículos em homens secretam uma série de hormônios com diferentes ações. Quando nossos hormônios estão perfeitamente equilibrados, nós desfrutamos de boa saúde. Mas vários fatores, como doenças, mudanças na atmosfera e no corpo, má alimentação podem resultar em desequilíbrios que produzem sintomas e distúrbios indesejáveis.

Uma vez que as ações dos hormônios ainda não são totalmente compreendidas, é muito difícil tratar os desequilíbrios hormonais da maneira tradicional. Mas as pessoas observaram ao longo das gerações que certas ervas têm um efeito de equilíbrio sobre os hormônios, embora não seja totalmente conhecido exatamente como elas atuam. Tais ervas geralmente têm um efeito benéfico na saúde geral e no bem-estar de uma pessoa.

Elas são frequentemente referidas como adaptógenos porque ajudam o corpo a se adaptar às mudanças no meio ambiente, bem como às mudanças metabólicas dentro do corpo. As seguintes são algumas das melhores ervas para equilibrar os hormônios.

 

 

Conheça as 10 ervas que podem ajudar o desequilíbrio hormonal

Astragalus (erva do leite) 

Comumente conhecida como erva do leite, esta erva é usada na medicina chinesa para tratar uma grande variedade de problemas de saúde, incluindo doenças cardíacas, problemas hepáticos, infecções respiratórias superiores e asma. Agora é comumente usada também para estimular o sistema imune, além de ter efeitos anti-envelhecimento. Essa propriedade antienvelhecimento é atribuída ao composto cicloastragenol dessa erva, que ativa a enzima telomerasa que protege o DNA das células durante a divisão celular.

A propriedade de equilíbrio hormonal da erva ajuda na regulação da pressão arterial e nos níveis de açúcar no sangue. Astragalus tem um efeito protetor sobre as células beta do pâncreas que secretam insulina.

Ela neutraliza a resistência à insulina quando os receptores de insulina se tornam progressivamente dessensibilizados devido a altos níveis de insulina circulante. A resistência à insulina é uma das principais causas do diabetes tipo 2.

Ashwagandha (withania somnifera) 

Ashwagandha é uma erva popular de origem indiana e bem comum na medicina Ayurveda. Sua ampla ação no sistema endócrino faz dela um excelente adaptogênico. Ashwagandha tem um efeito de equilíbrio nas glândulas supra-renais e na tireóide. As pessoas com hipotireoidismo e hipertireoidismo são ambas beneficiadas pela extração de Ashwagandha.

Ashwagandha pode reduzir o estresse, melhorar a circulação sanguínea e prevenir o envelhecimento prematuro. É considerada um afrodisíaco e é usada para tratar a disfunção erétil em homens, mas a capacidade de aliviar o estresse está atrás desse efeito. Um efeito semelhante nas mulheres é atribuído ao aumento do fluxo sanguíneo para os órgãos reprodutivos.

Como o nome da espécie ‘somnifera’ sugere, Ashwagandha melhora o sono. Tem um efeito rejuvenescedor sobre as pessoas mais velhas, ajudando-as a recuperar o vigor e a vitalidade física. Também melhora a memória.

Maca Peruana (lepidium meyenii)

A raiz desta planta de nabo pertencente à família do repolho é chamada de ginseng peruano. Mesmo assim, é importante deixar claro que não é parente do verdadeiro ginseng. A raiz altamente nutritiva é usada como um vegetal e é consumida na cozinha da região dos Andes. Mas o que a tornou popular é o efeito de aumento de energia que proporcionou força e resistência aos guerreiros Inca antigos.

Os atletas agora usam raiz Maca em pó para aumentar a resistência em treinos e provas. O efeito de equilíbrio hormonal desta raiz fornece benefícios adicionais como alívio do estresse.

A raiz da maca tem hormônios vegetais que conferem benefícios especiais às mulheres, como aliviar a síndrome pré-menstrual e sintomas da menopausa, as ondas de calor e os suores noturnos.

Ginseng americano (panax quinquefolius)

O ginseng americano é um verdadeiro ginseng, embora tenha uma ação mais suave e mais controlada em comparação com o ginseng chinês. Ele suporta o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA), ajudando a manter o equilíbrio hormonal correto. No entanto, não sobreestimula o sistema endócrino.

O ginseng americano funciona fortalecendo o sistema imunológico e aliviando o estresse. Ele melhora a digestão, absorção e assimilação de nutrientes da dieta, o que faz um longo caminho para aumentar a força e a resistência e melhorar a saúde geral. Tem benefícios especiais para a saúde reprodutiva masculina, uma vez que melhora a capacidade e o desempenho sexual.

Saw Palmetto (serenoa repens)

A Saw Palmetto é usada em ervas medicinais para tratar a hiperplasia prostática benigna. Tomar esta erva pode ajudar a reduzir a fadiga crônica. Ele alivia o estresse e melhora a função imune também.

Saw Palmetto tem um efeito de equilíbrio sobre o sistema endócrino como um todo, mas é particularmente conhecido por sua ação benéfica no sistema reprodutivo masculino e feminino. Uma vez que homens e mulheres têm os hormônios do mesmo sexo, estrogênio e progesterona, mas em quantidades variáveis, não é difícil ver como a mesma erva pode ser útil para melhorar a função reprodutiva e a libido em ambos os sexos.

Tribulus (tribulus terrestris)

Esta erva cresce no chão e é conhecida como cabeça de cabra por causa de suas sementes espinhosas. Geralmente considerado como um afrodisíaco, o extrato desta planta é usado em sistemas de medicina indianos e chineses para tratar problemas reprodutivos masculinos, incluindo baixa contagem de esperma.

Ao invés de aumentar a produção de testosterona ou outros hormônios sexuais masculinos, pensa-se que Tribulus estimula os receptores de andrógenos no cérebro, o que resulta em uma melhor utilização desses hormônios.

Um componente do Tribulus conhecido como Protodioscina pode ajudar a aumentar os níveis de DHEA nos homens, o que pode ajudar a disfunção erétil e aumentar a fertilidade. Estudos demonstraram que poderia ser útil no tratamento da infertilidade em homens devido a anticorpos anti-esperma produzidos pelo organismo.

Epimedium (epimedium spp.)

A erva Epimedium ou a erva daninha de cabra é amplamente utilizada na medicina chinesa para tratar uma variedade de problemas de saúde como osteoporose, doença cardíaca coronária, hipertensão, perda de memória e dor nas articulações.

Isso pode ser esperado de ervas adaptogênicas que possuem vários mecanismos de ação voltados para melhorar a saúde geral. Verificou-se que era eficaz para tratar períodos irregulares em mulheres e disfunção sexual também.

O ingrediente ativo em Epimedium é identificado como um flavonóide chamado icariin, que tem um efeito relaxante no tecido muscular liso. Acredita-se que esse flavonóisde tende a imitar o hormônio testosterona e melhorar o desempenho sexual.

Chasteberry (vitex agnus-castus)

Este arbusto mediterrâneo tem uma longa história de uso da saúde reprodutiva feminina. Como o nome comum sugere, o extrato de folha de chasteberry foi utilizado anteriormente para acalmar a libido e ajudar as mulheres a permanecerem castas.

No entanto, o extrato de chasteberry tem efeito inverso, provavelmente devido a diferenças de concentração. Da mesma forma, um extrato de menor concentração aumenta os níveis de prolactina, enquanto uma redução nos níveis hormonais é observada com uma dose maior.

O extrato Chasteberry atua na glândula pituitária para regular vários hormônios como o estrogênio, hormônio folículo estimulante (FSH), hormônio luteinizante e prolactina. Atualmente, é usado no tratamento de uma série de problemas de saúde decorrentes de um desequilíbrio hormonal em mulheres, incluindo síndrome pré-menstrual, dor cicatricial na mama, doença dos ovários policísticos, fibromas uterinos, problemas na menopausa etc.

Raíz de Suma (pfaffia paniculata)

Suma é uma planta nativa do território sul-americano e é comumente chamada de Ginseng brasileiro, embora não esteja relacionada ao verdadeiro ginseng. O extrato radicular desta erva é conhecido por normalizar a função endócrina, melhorar a imunidade e aumentar a força e o desempenho. Sua terra nativa, Suma é conhecida como “cura tudo”, e é usada para tratar uma grande quantidade de doenças, além de ser usada como um tônico geral e agente calmante muito poderoso.

Suma também é conhecida como ‘Russian Secret’ porque os atletas russos usavam um composto ergogênico extraído da planta de Suma para aumentar o desempenho esportivo. Verificou-se que estava livre dos efeitos colaterais associados a muitos outros esteróides anabolizantes.

Embora permaneça um segredo bem guardado dos russos por algum tempo, este composto é usado agora por desportistas em todos os lugares. Outro s usos desta erva incluem melhorar a memória, estimular o apetite e equilibrar os níveis de açúcar no sangue.

Cohosh Negro (actaea racemosa)

Cohosh negro tem sido usada por nativos americanos para tratar muitas condições associadas à fertilidade feminina. Estudos têm demonstrado que certos componentes em cohosh preto podem atuar como estrogênio no cérebro e podem ter um efeito semelhante no sistema reprodutivo.

Na verdade, muitas mulheres na menopausa acham que o cohosh preto é altamente benéfico na redução dos sintomas associados à insuficiência de estrogênio. O efeito de equilíbrio hormonal desta erva é parcialmente atribuído às suas propriedades estrogênicas, mas os glicosídeos na erva também podem ter uma função reguladora. Cohosh preto tem ação anti-inflamatória, graças a ácidos isoferulicos que ajudam a aliviar a dor e o inchaço associados à artrite reumatóide e à osteoartrite.

Sobre esse assunto, é bom citar o que o médico Eliseu Portugal, especializado em fisiologia do envelhecimento, costuma dizer: “Muitos pensam que os hormônios deixam de ser secretados porque a idade avança, mas é o caminho inverso: envelhecemos porque paramos de produzir hormônios essenciais ao bom funcionamento do organismo e, por consequência, à manutenção da juventude“.

ervas_hormonais

Nenhum comentário foi feito ainda.

Deixe uma resposta ou comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *